zzapting transportes

mudanças, transporte e guarda-móveis

Hello world!

Welcome to WordPress. This is your first post. Edit or delete it, then start writing!

Como manter seu colchão limpo

 

Um terço da vida! Essa é a média do tempo que passamos dormindo para recuperar as energias e descansar corpo e mente, essencial para uma boa saúde. Por isso, é importante manter seu colchão limpo, higienizando -o periodicamente.

Após uma mudança, ele pode acumular ainda mais poeiras e bactérias com o transporte e embalagens. Então, é um ótimo momento para limpá-lo e chegar novinho em folha ao seu lar.

Seguem algumas dicas e mãos à obra!

1) Colchões devem ser limpos apenas com aspirador de pó regularmente. Espumas ou molas não devem ser molhadas com qualquer tipo de produto;

2) A higienização do colchão para pessoas alérgicas ou com bronquite asmática deve ser feita semanalmente. Para os demais casos, de 15 a 30 dias;

3) Jamais exponha o colchão ao sol, pois o calor ativa e aumenta os ácaros e bactérias ali presentes;

4) Nunca utilize produtos à base de cloro ou amoníaco na limpeza do colchão, pois prejudicam diversos materiais / revestimentos;

5) Se o colchão não tiver o pillow-top (aquela camada na parte superior), você pode virá-lo semanalmente. Caso tenha o pillow-top, mude o sentido (cabeça e pés) com a mesma frequência. Isso aumenta a vida útil do produto e evita a deformação da espuma , que gira em torno de 4 a 5 anos em média;

6) Existem produtos de limpeza a seco, próprios para higienização de colchão, que são vendidos em supermercados ou lojas de materiais de construção. Vale a pena investir nisso!

E as manchas?

Para evitá-las, use uma capa protetora de tecido antes de estender o lençol. Mas, atenção: a capa precisa ser trocada a cada 6 meses porque conforme o uso ela vai ficando mais fina. Não use o plástico da loja como proteção. Vale lembrar que o colchão precisa de ventilação para evitar micro-organismos.

Em caso de manchas, procure sempre uma empresa especializada em limpeza, não tente remover com água ou qualquer produto;

* Fontes :  Bbel e  Universo Jatoba

Como funciona um Seguro de Mudança?

 

Todo transporte possui riscos. Por isso, é importante que a empresa ofereça um seguro de mudança que minimize os imprevistos e previna qualquer tipo de dano aos seus bens.

Antes de definir a empresa, entenda como funciona a contratação de um seguro de mudança:

1) O seguro de transporte é divido em duas apólices:
RCTR (obrigatória): cobre riscos como acidentes de trânsito, incêndio e explosão, que causem perda total ou parcial aos bens transportados.
RCF-DC (facultativa): cobre sinistros como, roubo, furto, extorsão ou apropriação indébita.

2) Nenhum seguro de transporte de mudanças nacionais cobre pequenos danos decorrentes de manuseio falho, como riscos, quebras, trincas, sujeira, etc. Para isso, uma boa embalagem e profissionais experientes reduzem tais riscos.

Apólice de Seguro: a sua garantia de indenização

O seguro não é obrigatório, mas é um elemento a mais para a garantia do transporte sem prejuízos. O valor do seguro é calculado em 1% do valor dos bens declarados pelo consumidor, que envia à empresa uma relação dos itens a serem transportados, discriminando o preço estimado de cada um. Essa lista deve ser conferida e assinada tanto pela empresa como por você, cliente.

O próximo passo é a averbação da mudança junto à seguradora, onde a empresa deve informar os preços individuais dos itens declarados, a placa do caminhão e o valor total assegurado.

Mudança sem stress!

Algumas empresas cobram o percentual e não contratam realmente o seguro, uma prática ilegal. Para evitar transtornos, você deve:

1) Solicitar uma cópia ou número das apólices de seguro;

2) Checar a veracidade dos documentos junto à seguradora, bem como o CNPJ da transportadora;

3) Sempre guardar uma cópia de toda a documentação. Ela é a sua garantia!

4) Desconfiar de preços abaixo da prática do mercado: uma empresa que paga impostos e funcionários em dia e tem a responsabilidade de garantir a segurança dos seus bens, certamente cobrará um preço justo. O barato pode sair caro… Pense nisso!

Equipe Zzapting

 

Dicas de mudança: Levar ou não aparelhos eletrônicos para outra cidade?

Quando vamos mudar para uma cidade onde a voltagem é diferente da atual, uma dúvida muito comum é: deixar tudo para trás ou adaptar a eletricidade da nova casa para aproveitar os itens do lar? Afinal, não é fácil se desfazer da geladeira, microondas, televisão, entre outros aparelhos tão indispensáveis para o dia a dia, caso não sejam bivolt. Temos algumas dicas de mudança residencial para você!

Se quiser levar seus itens, há algumas opções:

  • Usar um aparelho bifásico
  • Instalar tomadas na casa, da voltagem do seu aparelho;
  • Optar pelos famosos transformadores (que apesar de enormes, são muito úteis);
  • Modificar a voltagem de alguns eletroeletrônicos. Algumas lojas especializadas fazem o serviço, mas transformar aparelhos 110V em 220V costuma ser mais complexo: talvez você precise verificar com a companhia de eletricidade se é possível executar o serviço no seu lar.

ATENÇÃO: Para sua segurança, em qualquer uma das alternativas consulte sempre um profissional capacitado para realizar o procedimento escolhido!

Caso prefira doar ou vender aparelhos eletrônicos, há muitas instituições carentes que precisam e até buscam no local da doação. Grupos de troca e venda de itens usados também crescem a cada dia nas redes sociais.

Veja a lista com as voltagens das principais cidades do Brasil, faça a sua escolha e mude sem stress!

Angra dos Reis – 110 V

Aracaju – 110 V

Balneário Camboriú – 220 V

Barreirinhas – 220 V

Belém – 110 V

Belo Horizonte – 110 V

Blumenau – 220 V

Boa Vista – 110 V

Brasília – 220 V

Búzios – 110 V

Cabo Frio – 110 V

Caldas Novas – 220 V

Campo Grande – 110 V

Campos do Jordão – 110 V

Canela – 220 V

Corumbá – 110 V

Cuiabá – 110 V

Curitiba – 110 V

Fernando de Noronha – 220 V

Florianópolis – 220 V

Fortaleza – 220 V

Foz do Iguaçu – 110 V

Galinhos – 220 V

Goiânia – 220 V

Gramado – 220 V

Guarapari – 110 V

Guarujá – 110 V

Ilhabela – 110 V

Ilha do Mel – 110 V

Ilha Grande – 110 V

Jericoacoara – 220 V

João Pessoa – 220 V

Lençóis – 220 V

Macapá – 110 V

Maceió – 220 V

Manaus – 110 V

Maragogi – 220 V

Morro de São Paulo – 220 V

Natal – 220 V

Ouro Preto – 110 V

Palmas – 220 V

Paraty – 110 V

Parintins – 110 V

Parnaíba – 220 V

Porto Alegre – 110 V

Porto de Galinhas – 220 V

Porto Seguro – 220 V

Porto Velho – 110 V / 220 V

Recife – 220 V

Rio Branco – 110 V

Rio de Janeiro – 110 V

Salvador – 110 V

Santarém – 110 V

São Luís – 220 V

São Paulo – 110 V

São Sebastião – 220 V

Teresina – 220 V

Tiradentes – 110 V

Vitória – 110 V

Equipe Zzapting

Guarda Móveis e Self Storage: conheça as diferenças

 

Serviços de armazenagem têm funcionamentos distintos

 

No mundo moderno, cresce o número de pessoas que buscam por espaço, cada dia mais escasso, caro e concorrido.  Os motivos podem ser muitos: o novo bebê,  a mudança para um lar mais compacto, a papelada acumulada, ou até mesmo o consumismo exagerado. É comum que muitos itens não caibam em casa ou na empresa por causa disso.

Assim surge a opção de terceirizar espaços para armazenagem, resolvendo de forma prática o problema do quarto muito apertado ou daqueles documentos que entulham  o seu escritório. Para isso, há duas formas de guardar seus bens em uma empresa especializada.

Veja as diferenças e escolha a sua opção:

  1. Guarda-Móveis:  Você paga um aluguel para deixar seus móveis durante um prazo determinado no galpão, sem a opção de livre acesso de entrada para movimentação dos mesmos. Toda a organização da armazenagem fica a cargo da empresa. Por isso, caso queira ou precise manusear ou retirar algum item, pode ser cobrada uma taxa à parte para o procedimento.
  2. Self Storage: É um depósito privativo. Neste sistema inovador o cliente aluga um box  do tamanho que precisar (calculado em m3) e  somente ele fica com a chave. O acesso é irrestrito (devido apenas se comunicado com um prazo de antecedência) e nele é possível armazenar também documentos, mercadorias,  arquivos e estoques de e-commerce, por exemplo.

É importante ressaltar que seja qual for a sua opção, aqui na Zzapting Transportes todos os espaços são dedetizados e têm constante tratamento contra umidade e insetos, são controlados por câmeras de vigilância 24h e possuem seguro contra roubo e incêndio.

Clique aqui e conheça mais o nosso serviço.

Equipe Zzapting 

Qual a distância ideal entre a TV e o sofá?

Não é só um objeto de decoração.  A TV é um dos aparelhos eletrônicos mais presentes nos lares mundiais, inclusive nos brasileiros.  Segundo o IBGE,  a televisão estava presente em 97,1% dos 67 milhões de domicílios brasileiros em 2014.

Mas além de decorar a sala de estar, ela precisa estar bem posicionada para não afetar a saúde visual. E a distância ideal depende tanto do tamanho da tela quanto do espaço da sua sala.

Por isso,  se vai mudar para outro lar é importante conhecer essas informações antes de montar um projeto para aproveitar a sua TV antiga ou comprar uma TV nova.

Afinal, de que adianta uma sala bem decorada se isso pode prejudicar sua visão e da sua família?

Confira cinco dicas de especialistas:

  • Quanto maior a tela da TV, mais distante o sofá deve estar;
  • Para salas pequenas, nada de TVs com muitas polegadas;
  • A altura do espectador (sentado no sofá) também precisa ser analisada: a TV deve  estar alinhada exatamente à altura dos seus olhos;
  • Quem deseja maior proximidade com a TV, a distância minima deve ser entre 90 cm e 1,10 m;
  •  A luminosidade do ambiente interfere na visualização. Evitar a entrada de sol garante uma melhor experiência para o telespectador.

 

 

Imagem extraída do ZapImóveis

Self Storage: proteja seus móveis e ganhe espaço para construir ou reformar

 

Self storage: economia e proteção para seus móveis

Se você pretende construir ou reformar seu lar ou escritório, precisa conhecer o sistema self storage, uma solução para evitar danos ou estragos aos seus móveis, já que elimina o manuseio das peças que precisariam ser arrastadas a todo o momento.

Ao pé da letra, o termo significa auto-serviço de armazenagem, onde você mesmo organiza seus bens e aluga somente o espaço que precisar. O armazenamento é feito em boxes da empresa contratada, como em quartos pequenos, facilitando a organização.

Há um cadeado para cada um, que fica em poder do cliente para o manuseio na hora que ele quiser, e somente o inquilino tem acesso aos seus bens, monitorados 24 horas por câmeras de segurança. Documentos também podem (e devem!) ser guardados neste sistema, pois durante as obras quase sempre se perdem.

Este sistema vem ganhando a preferência dos clientes, pois garante a segurança dos seus móveis em local apropriado por tempo determinado, onde é possível manuseá-los a qualquer momento, sem gastos adicionais – como é o caso do guarda-móveis – e ficam mais protegidos contra umidade e poeira. Assim, evita-se a troca do mobiliário, que estando em casa facilmente pode quebrar, rasgar ou manchar, além de ganhar espaço para a reforma e reduzir custos no orçamento, reaplicando a verba em uma nova ornamentação, por exemplo.

Solução comercial para enfrentar a crise

Profissionais liberais, médicos e pequenas e médias empresas que enfrentam a crise econômica do país também buscam este sistema como alternativa para reduzir custos com aluguel de salas comerciais. Quando documentos, contratos antigos e outros pertences já não cabem mais em arquivos ou gavetas, são armazenados de maneira rápida e segura nos boxes.

Empreendedores que possuem uma loja ou e-commerce com pouco espaço também podem alugar um box para armazenar os produtos, principalmente em datas festivais e sazonais, como Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia das Crianças e no Natal quando a demanda de mercadorias aumenta.

O sistema americano já é sucesso no Brasil. O preço é acessível (cerca de R$30,00 por m3) sem contar a segurança e qualidade que o self storage oferece.

Analise o custo x benefício para o seu projeto, e perceba que esta é uma alternativa favorável ao bolso, além de otimizar tempo e espaço.

Equipe Zzapting

 

26 ideias para reciclar em casa depois da mudança

Hoje, dia 5 de junho, comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente. Para ajudar a preservar e proteger nosso planeta, trouxemos  26 ótimas ideias para você reciclar em casa alguns itens que depois da mudança residencial poderiam virar mais lixo, e consequentemente, mais poluição.

 

O eCycle te mostra abaixo como reutilizar diversos objetos presentes no seu cotidiano:

  1. Reutilize cobertores e toalhas. Caso você tenha animais, estique os cobertores e toalhas em um local onde eles possam sentar e dormir. As toalhas velhas também podem se tornar panos de chão;
  2. As sementes de frutas e vegetais não precisam ir para o lixo. Plante-as no quintal ou em pequenos vasos, faça uma horta caseira ou inicie sua compostagem doméstica, reduzindo sua geração de resíduos orgânicos, emissões de gases de efeito estufa e aliviando aterros sanitários;
  3. Essa é para reutilizar a energia do calor. Em épocas frias, após utilizar o forno do fogão, deixe a porta do mesmo aberta para esquentar o ambiente, após desligá-lo;
  4. A borra de café pode ser ótima aliada para o crescimento sadio de suas plantas.
  5. Imagine adotar o uso de uma árvore de natal natural, reutilizando-a ao longo do ano também como habitat para outros seres, decoração de seu jardim ou varanda de sua casa e esperar que os passarinhos a visitem;
  6. Reutilize caixas de papelão e plástico bolha para acondicionar louças e itens frágeis quando for organizar uma próxima mudança. Elas também podem virar uma linda casinha para os pequenos se divertirem, ou até mesmo uma sapateira bem organizada.  
  7. Tapetes são itens de um tipo de resíduo. Se você tem um daqueles que já está manchado ou mal cheiroso, tente remover as manchas com uma receita caseira. Se o problema for que ele já esteja bem velhinho, ele pode ser restaurado e ganhar uma segunda vida. Existem lojas específicas que fazem esse serviço;
  8. Reutilize as sobras e cascas de alimentos e todo o material orgânico da sua casa ou pratique a compostagem doméstica. Saiba o que não deve ir para a composteira e siga o passo-a-passo para aplicar essa técnica sustentável no seu dia-a-dia;
  9. Reutilize embalagens de manteiga e margarina ou outros potes desta natureza para guardar sobras de comida em geral;
  10. Roupas velhas podem virar panos de limpeza. Também é possível transformar sua camiseta velha em uma bolsa sustentável;
  11. Reutilize o recheio dos travesseiros e edredons velhos para fazer almofadas. Aproveite também para transformar as fronhas do travesseiros;
  12. Guarde o papel de embrulho de algum presente recebido para usá-lo novamente quando for presentear alguém;
  13. Utilize os jornais, revistas e outros produtos de papel para ajudar no transporte de itens frágeis;
  14. Após as crianças brincarem em piscinas infantis montáveis, que não utilizam água clorada, reutilize a água para molhar plantas e arbustos;
  15. Achou uma lata de tinta que já está há muito tempo no armário? Caso não esteja mais no prazo de validade, saiba o que fazer com os restos de tintas, vernizes e solventes, mas caso ainda esteja viva, procure cômodos e objetos da sua casa que possam receber uma nova roupagem;
  16. Recipientes de vidro com tampa podem servir para guardar sobras de comida ou acondicionarem um doce, como uma geleia;
  17. Reaproveite sua escova de dentes na limpeza de lugares de difícil acesso (veja mais);
  18. Não sabe o que fazer com pães amanhecidos? Corte-os em fatias e leve-os ao forno para fazer uma deliciosa torrada. Também é possível picá-los e jogá-los no quintal para alimentar pássaros;
  19. Com tampinhas de garrafa PET, é possível fazer o seu próprio jogo de damas, por exemplo. Basta coletar peças de duas cores diferentes;
  20. Canudinhos plásticos devem ser evitados, mas caso você tenha alguns em casa, é possível transformá-los em miçangas, como mostra o vídeo;
  21. Papel alumínio pode ser limpo com cuidado para poder acondicionar alimentos novamente;
  22. CDs podem virar mosaicos, espelhos e outras coisas
  23. As folhas secas, galhos e arbustos do seu quintal podem ser ótimos para a fertilização do solo;
  24. O tubo de pasta de dentes pode se transformar num pequeno porta-moedas;
  25. Cascas de frutos do mar podem ser quebradas para decorarem o jardim;
  26. Tubos de papel higiênico podem servir para crianças fazerem artesanato, brincarem de boliche, substituindo os pinos. Podem servir de sementeiras, como caixinhas de presentes ou mesmo um estojo porta canetas. E se não estiver com paciência para um upcycle, seu cachorro ou gato também pode gostar de brincar com eles.

Muitos desses itens, depois de reutilizados, podem ser reciclados. Saiba onde e como fazer a doação ou a reciclagem.

 

Fonte: ecycle

8 dicas para organizar a nova casa depois da mudança

 

Que tal aproveitar o clima de mudança para modificar hábitos? Esse pode ser um excelente momento para substituir os maus costumes e se reorganizar!

Xô pressa!  –  O primeiro passo é combater a ansiedade. Por mais difícil que pareça, planejar antes de agir é o melhor caminho. Antes de por a mão na massa para arrumar toda a bagunça de uma só vez,  crie uma agenda e planeje quantos dias você precisa para por tudo em ordem. Uma semana é o tempo considerado ideal. Realize as tarefas com calma para evitar danos em móveis ou objetos.

Defina prioridades – Cozinha, quarto, banheiro ou sala? Decida qual cômodo é mais importante para as suas necessidades e da sua família. É ele que deve ser organizado primeiro.  Se você trabalha em casa, o home office precisa estar logo arrumado. Quartos e banheiros também devem estar em ordem para descanso e higiene pessoal.   A cozinha demanda mais tempo, por isso precisa ser concluída com calma. Porém, é importante manter um espaço limpo para as refeições, sem esquecer de separar copos, pratos e talheres.

Aproveite espaços – Se o novo lar é maior, você terá espaços extras, mas se  for menor, otimizar espaço será o seu desafio. Busque preenchê-los de forma inteligente e organizada, com prateleiras móveis,  gavetas aéreas, nichos, caixas organizadoras, ou doando o que você não precisa. Esse é um bom motivo para praticar a caridade a quem precisa!

Reduza, Reutilize, Recicle – Os 3 Rs da sustentabilidade (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) são ações práticas que buscam minimizar o desperdício de materiais e produtos, e poupar a natureza da extração inesgotável de recursos. Adotando estas práticas, é possível reduzir o custo de vida diminuindo gastos, além de favorecer o desenvolvimento sustentável.

Para o quarto: Prefira cabides de plástico ou madeira (os de metal podem estragar as roupas), e agrupe as roupas  por cores, estação ou  separe-as por ocasiões (trabalho, passeio, casa ou esportes). Deixe sempre as  peças mais usadas ao alcance das mãos. Não encha muito as gavetas nem coloque objetos muito pesados, pois podem fazer com que o fundo se descole.

Para a cozinha: Deixe pratos, talheres, copos e panelas para uso diário em local de fácil acesso nos armários.  Panelas e eletrodomésticos devem ser organizados primeiro porque ocupam mais espaço, enquanto peças menores como louças, pratos, entre outros que requerem mais cuidados, depois. Mantenha um armário exclusivo para os alimentos.  Prefira potes transparentes, para que localize conteúdo sem precisar abrir.  Potes de vidro são os mais indicados, tanto pela higiene quanto pela conservação dos alimentos.  Devido a umidade, colheres de pau  e itens de madeira não devem ser guardados junto com os demais utensílios. Coloque-os  num recipiente em cima da pia para evitar mofo.

Para o banheiro: Guardar toalhas no banheiro não é uma boa ideia, por causa do excesso de umidade. Para separar cremes, perfumes e loções, use cestos sem tampas, que ainda podem decorar o ambiente. Se não tiver armário sob a pia, aramados são uma ótima opção.

Para a sala de estar:  Separe carregadores, fios, pilhas e adaptadores em caixa, e identifique-os com etiquetas.  Pufes tipo baú podem guardar fotografias, mantas e outros objetos, além de decorar o ambiente. Invista em cortinas leves e claras (de renda ou voil) e, por baixo, coloque tecido escuro e opaco, de sarja ou tergal. O forro grosso bloqueia os reflexos de luz sobre a TV. Dispense o tapete sob a mesa de jantar, pois acumula restos de comida e bebida, deixa manchas e atrai ácaros e bactérias. Caixas decorativas de madeira ou papelão são ótimas opções para guardar objetos de menos uso.

Desse jeito, sua nova casa ficará linda e funcional mesmo depois da mudança!

Equipe Zzapting

 

10 Dicas de Mudança Residencial

10 dicas de mudança residencial

Mudar de casa não é fácil. Mas algumas dicas importantes podem tornar esse momento mais leve para você mudar ‘sem stress’. Confira:

1) Pesquise e contrate o serviço antecipadamente. Para mudanças locais, o ideal é pelo menos uma semanas antes. Se for para outro estado, planeje com um pouco mais de antecedência;

2) Objetos de valor e itens pequenos (como jóias e relógios) devem ser levados com você. Isso evita possíveis perdas ou extravios;

3) Para apartamentos e condomínios, verifique se há horário estabelecido para entrega dos móveis e notifique os síndicos sobre o dia da mudança. As vias públicas também devem ser verificadas, pois em algumas ruas a circulação de veículos grandes é limitada;

4) Algumas semanas antes da sua mudança, não esqueça de contatar bancos, companhias de água, luz, gás, telefone, editoras (caso seja assinante de jornais ou revistas) e seguradoras. A atualização de seus dados evita transtornos, com relação à entrega de correspondências ou contas;

5) Verifique se o novo endereço possui linhas telefônicas, energia elétrica e gás em funcionamento;

6) Cheque se a voltagem dos aparelhos eletrônicos é compatível com os seus eletrodomésticos e equipamentos eletrônicos;

7) Organize seus pertences e identifique-os, a fim de otimizar a organização dos objetos na nova casa. Separe roupas, calçados, objetos frágeis, plantas, etc.

8) Escolha o cômodo menos utilizado do imóvel e comece a embalar. Ordene o trabalho passando de cômodo a cômodo, Isso facilita seus últimos dias no imóvel e facilitará a desembalagem após a mudança;

9) Use suas malas para levar roupas e acessórios. Dividi-las em verão e inverno ajuda a otimizar o tempo de organização na casa nova, podendo priorizar a organização das roupas da estação atual.

10) Por último, faça uma lista para artigos urgentes que você irá usar antes de desembalar tudo, como uma peça de roupa para dormir, outra para o dia seguinte, itens de higiene diária (escova e pasta de dentes, sabonete, shampoo e condicionador…), remédios como analgésicos e antigripais e, também, alguma de comida. Essa á a chamada “caixa da sobrevivência”, fundamental para evitar o seu stress!

Siga as 10 dicas para a sua mudança residencial ser um sucesso!

Equipe Zzapting

Page 1 of 4

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén